Serial Killer!

Conforme dissemos em nosso post alguns dias atrás, A Editora Urso está prestes a lançar seu primeiro projeto de tradução do ano, que vai ser aberto para financiamento coletivo no Catarse no dia 4 de Abril.

A proposta é uma tradução inédita no Brasil de um texto do século XIX que vai tratar de coisas interessantes que ficaram bem famosas graças as histórias de mistério: morte, horror em uma macabra história real ocorrida nesse final de século tão famoso pelas inovações tecnológicas e grandes impactos culturais e sociais.

O pessoal da Editora Urso vai liberar algumas dicas sobre a natureza do projeto as quais vamos postar aqui sempre que saírem novidades. A segunda curiosidade é a seguinte:

Serial killer

Manipuladores, inteligentes e sedentos por sangue. Assassinos em série não são apenas personagens de filmes de horror, muito pelo contrário, podem ser pessoas muito próximas do nosso dia a dia e não são poucas as histórias que encontramos sobre crimes reais.

O termo Serial Killer ganha notoriedade apenas na década de 80, muitos anos após os primeiros estudos sobre a mente dos assassinos, suas motivações e ações calculadas para matar. John E. Douglas e Robert Ressler, dois agentes do FBI, são os pioneiros nesse estudo e passam a analisar o perfil psicológico dos criminosos. Para eles era importante entender a origem comportamental desses assassinos, seus métodos para atraírem e matarem as vítimas e também aquilo que era feito dos corpos postumamente.

Em geral os homicídios eram friamente calculados, muitos dos indivíduos não possuíam remorso de seus atos, mostrando-se completamente conscientes daquilo que fizeram. Discute-se, ainda, como essa ausência de empatia dá lugar à adrenalina, tornando o ato de matar algo viciante e que venha a se repetir outras vezes.

Algumas das mentes mais assustadoramente brilhantes que podemos relatar são de pessoas como Elizabeth Báthory, talvez a mais violenta condessa do século XVII e que trabalhava junto de outras pessoas em sua época. O que se diz é que ela matava jovens virgens para se banhar com seu sangue e manter sua beleza. Centenas de mortes lhe foram atribuídas.

Mas serial killers não são exclusividade só no exterior. O Brasil também possui alguns casos famosos: Pedro Rodrigues Filho, mais conhecido como Pedrinho Matador, tinha o costume de usar facas como seu principal instrumento. Dentre as suas centenas de vítimas o próprio pai está na lista e, mesmo após preso, causou a morte de mais 40 outras pessoas. Cumpriu 4 décadas atrás das grades e foi liberado em 2018.

Tenso, né? Se você não viu a curiosidade anterior, acesse o link aqui para saber sobre roubo de cadáveres no século XIX.

Alguma ideia do que virá? Fique atento aqui com a gente!

1 comentário em “Serial Killer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: